Miguel Maia

Actor e Encenador

Dir. artístico da Companhia Cepa Torta. O seu foco centra-se na dramaturgia, encenação e na criação com não-atores. Tem formação
base em engenharia e gestão de projetos (PMP), mas trabalha em teatro desde 1999 com diversas formações- Chapitô, IFICT, CEM,
Gulbenkian (João Mota), Artistas Unidos, Restart e Bruno Bravo.
Mestre em Teatro e Comunidade pela ESTC (2013). Como ator destaca “Fausto”(Primeiros Sintomas/Bruno Bravo - 2016) e “O Rei
Imaginário”, de Raúl Brandão (Leonor Buescu) em 2017. Trabalha em televisão, publicidade e cinema. Em teatro educação destaca-se trabalho desenvolvido com jovens -“Sei de um Sítio”, Amadora (2012), a dir. do clube júnior do Teatro da Garagem, com Maria João
Vicente (2013) e coordenação “Selfie”-escolas Odivelas desde 2018.
Encenou Um Pássaro e uma Cabeça que, desde 2015, itinera o país.
Faz a direção artística, desde 2017, do projeto Esta noite grita-se, de leituras de teatro dirigindo textos com atores como Sara Carinhas,
João Lagarto, José Wallenstein, Paulo Pinto, Pedro Gil, Rita Cabaço, Catarina Wallenstein, Elmano Sancho, entre outros. Em 2019 criou o
espetáculo “Estudos sobre o desejo - O Barão” a partir de Branquinho da Fonseca e Aldous Huxley, estreado em Lisboa e com
itinerância pelo país, premiado com melhor adaptação de texto para teatro entre diversos outros prémios pelo Guia dos Teatros, JUP e
Comunidade Cultura e Arte. Em 2020 escreveu e encenou o espetáculo “Nunca Visto” com a comunidade Marvila e atores profissionais, em Lisboa.

Miguel Maia

©Sónia Godinho